Viver num thriller psicológico

Cada concentração que fazemos contra a violência machista traz à nossa mente o medo, a sensação de inseguridade que vivemos, unicamente pelo facto de ser mulheres. Hoje [no momento em que o artigo foi escrito, na primeira quinzena do mes de abril] a vida de outra...

Nascer mulher

Ao Nascer mulher  semelha que vês com o distintivo da submissão implícito no teu corpo, com umas funções características do teu género e tudo o que se afaste do protótipo criado com a única intenção de marginar-te, de fazer de ti a...

Carta aberta a meu irmão

Há ocasiões em que a vida troca-se num pesadelo. Semelha que um fadário insidioso vai a por ti, apresa-te, mutila-te. E então, espertas com a sensação de ser uma automata, sentes que as leis da gravidade são alteradas, justo no instante em que a ausência...

Aguardando o espertar do amanhecer

As janelas exibem máscaras, lemas intermináveis inundam os cartazes que lideram as marchas contra a humilhação.

Desconstrução

Depois de uns meses de funcionamento, pode-se dizer que o Álvaro Cunqueiro superou todas as expectativas do desastre.

El gallego del Sr. Caballero

Isto não é um artigo, só é uma pequena reflexão

Não é habitual escuta-lo falar no seu gallego, só naquelas contadas ocasiões nas que ele considera que é imprescindível. 

A passagem inevitável em direção do caos

O que aconteceu o domingo passado nas eleições municipais é inconcebível, não lhe encontro explicação, ignoro qual foi a causa que originou este desastre.

Violência, um carcinoma difícil de extirpar

Fazer sofrer aos que consideram inferiores, semelha uma práctica tao estendida no mundo e no tempo que isto dá mostras dum carcinoma difícil, impossível de extirpar.

Uma cidade muito “fashion”

Resulta obvio que vivemos numa cidade diferente. Uma dessas urbes que não escatimam em luzinhas de cores para receber aos visitantes e, se é preciso, acochar aos pobres dos objetivos indiscretos, não vaia ser que se estropeie a luz da imagem perfeita.

A cruz fascista do Castro de Vigo DERRUBAMENTO JÁ!!!

Na segunda, o 29 de setembro assisti como público ao pleno do concelho de Vigo. Esse dia, o BNG presentava uma moção, na que instava a acatar a sentença que foi emitida o passado 4 de setembro pelo julgado nº 2 de Vigo, que obriga ao concelho a derrubar a chamada “ Cruz dos Caídos” do Castro.

Adeus senhor ministro!!!

Hoje estou um bocadinho mais feliz, e a razão é a boa nova da que se estão a fazer eco os Meios de comunicação. Rajoy decidiu retirar a reforma da lei do aborto. Este facto supõe um pequeno êxito na incansável luita das mulheres e as mobilizações sociais, desde que fora presentada em dezembro do 2013. 

Quando um país é uma herdança

Nestes  dias um sente que um povo é só um anaco de terra que aparece num testamento. Que é parte da propriedade dos terrões duma família de linhagem, nascida para o poder. Na outra banda estamos nós, o povo. Realmente a impotência é uma dura lousa que pretende aniquilar o nosso poder de decisão. Saímos à rua, berramos, luitamos contra a imposição duma monarquia, instaurada no seu momento por uma ditadura, que nos submergiu num longo período de escuridade e carência de liberdade. Porém as nossas razões não importam a um governo totalitário, que trabalha só pelos seus interesses. 

Uma vez tive um pesadelo...

Aquela noite dormi fatal!.  Uma velha casa de pedra aparecia, semelhava gigante, com inumeráveis escaleiras que se perdem entre umas nuvens grises de incerteza. A través da janela,  na branca parede, como saído dum filme de medo, vejo pendurado duma cruz um homem ensanguentado, com a olhada estrábica.

O reincidente retrouso da dor

A nossa face é a de todas elas. Acovilhamos na retina todas as discriminações, as fendas abertas que nos ancoram aos precipícios não superados. Intactas magoaduras, projetam-se nas imagens veladas que ainda nos representam. Impressas num lenço rilhado, descritivo, com um arrecendo acedo de bonecas e pinta lábios. O sorriso perfeito  enquadra-se no cliché dum pretendido preceito de diferenças.

A morada escura dos não aceitados

Quiçá haja que tomar nota e pôr-se à cola, coa posição exata, no lugar adequado, para que che deem palmadinhas no ombreiro  e assim conseguir  aparecer  de soslaio, ser visível... 

x