A bolsa brasileira recebe com uma forte suba de 6 por cento o triunfo de Bolsonaro no primeiro turno

A bolsa brasileira recebe com uma forte suba de 6 por cento o triunfo de Bolsonaro no primeiro turno
Bolsa de São Paulo
Bolsa de São Paulo  

Os mercados estão com o candidato da extrema direita. O real, a moeda brasileira, incrementou seu valor em 3,76 por cento a respeito do dólar.


A bolsa vê com bons olhos a hipotética vitória de Jair Bolsonaro no segundo turno das eleições no Brasil, a decorrer o vindouro domingo 23-O. O sinal foi dado esta segunda feira quando o mercado de valores no país experimentou uma significativa subida: o Ibovesca, principal índice de ações no gigante sul-americano, avançou até 5,46 por cento, após ter superado por momentos a fronteira de 6 por cento.

Os mercados apoiam sem dúvidas a opção de Bolsonaro após o ultra-dereitista pôr à frente da sua equipa económica o neo-liberal Paulo Guedes, fiel devoto das doutrinas de Milton Friedman e da chamada Escola de Chicago.

As receitas de Guedes são a redução do gasto público —que, segundo as suas estimações, representa 45 por cento do PIB— e a privatização progressiva de todas as empresas propriedade do estado.