Caetano Veloso veste rosa para pôr ao nu o machismo de Bolsonaro

Caetano Veloso veste rosa para pôr ao nu o machismo de Bolsonaro
Caetano Veloso
Caetano Veloso  

O célebre cantor, escritor e activista brasileiro não demorou em reagir às declarações da nova ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos do Brasil, Damares Alves, formuladas na esteira dos postulados machistas de Jair Bolsonaro.


Damares Alves, advogada e pastora evangelista além de membro do primeiro gabinete de Jair Bolsonaro, quis resumir numa só frase a sua visão da sociedade: o Brasil, disse, entra numa nova era com a chegada do novo governo, um tempo em que "menino veste azul e menina veste rosa", toda uma refutação das políticas contra a desigualdade de género impulsionadas durante anos pelo PT de Lula e Dilma Rousseff.

As reações nas redes dos setores progressistas do país foram imediatas e é de salientar a de Caetano Veloso, apoiante do Partido Democrático Trabalhista, o liderado por Ciro Gomes, e votante de Fernando Haddad, o candidato do PT, no segundo turno das eleições presidenciais.

O autor do cd Livro e do volume de memórias Verdade Tropical apanhou do seu armário uma camisola rosa e subiu-a ao twitter para patentizar que o outro Brasil, o progressista e inclusivo, continua bem vivo.