PORTUGAL É O QUINTO MAIOR PRODUTOR MUNDIAL DE LÍTIO

Cantar Grândola contra a mineração do lítio

Cantar Grândola contra a mineração do lítio
[Imagem: nit.pt]
[Imagem: nit.pt]  

A “Grândola, Vila Morena”, a canção escrita por Zeca Afonso e que foi uma das senhas da revolução de Abril, foi usada no passado dia nove como “grito de revolta” contra a mina de lítio que pode nascer na freguesia do distrito de Vila Real. Foi durante a cerimónia de abertura do Castelo de Montalegre.

 

 


Portugal é o quinto maior produtor mundial de lítio, elemento base para as baterias elétricas. E nesse contexto o movimento contra o lítio está a crescer e a juntar pessoas. Aos protestos populares havidos em dias passados, que mesmo levaram a fazer um chamamento a nao votar no passado 26 de maio, sumam-se agora as Câmaras municipais e as denúncias perante a UNESCO de associações ambientalistas.

Da Serra d'Arga à Foz do Âncora

Caminha, Ponte de Lima e Viana do Castelo estão a criar parceria para evitar a exploração de lítio na Serra d´Arga. Assim o manifestou o autarca de Viana do Castelo, José Maria Costa, no final da reunião quinzenal do executivo, após ser questionado por um representante de um movimento de defesa da serra:

"Neste momento estamos em trabalho, nós com Caminha e Ponte de Lima, com vista à classificação da Serra d'Arga. Vamos criar todas as dificuldades para que não se faça cá exploração", declarou, acrescentando que, embora legalmente não têm suficientes instrumentos, estão a trabalhar para os criar “em parceria com as outras câmaras, no sentido de dificultarmos ao máximo, porque entendemos que é mais produtivo a exploração turística e ambiental daquela área, do que propriamente uma exploração de lítio".

No início de maio, a Fortescue Metal Group, empresa australiana que até agora tem realizado vinte e dois pedidos para explorar este minério em Portugal, retirou a proposta de prospeção de depósitos de minerais na zona de Fojo, com o objetivo principal o lítio, para um polígono com 74.764 km2, inserido nos concelhos de Arcos de Valdevez, Melgaço e Monção, nos limites do Parque Nacional da Peneda-Gerês . O polígono de prospeção proposto abrangia o território declarado pela UNESCO como Reserva Mundial da Biosfera, extensões de área de prospeção inseridas na Reserva Agrícola Nacional e na Reserva Ecológica Nacional, território classificado como Rede Natura 2000, bem como zonas densamente povoadas e densa atividade agrícola. Abrangia ainda os Vales do rio Minho, do rio Mouro e do rio Vez (Vale Glaciar), confinando com os limites do Parque Nacional Peneda-Gerês.

Em abril as Câmaras de Viana do Castelo, Caminha e Ponte de Lima apresentaram publicamente o projeto "Da Serra d'Arga à Foz do Âncora

Em abril as Câmaras de Viana do Castelo, Caminha e Ponte de Lima apresentaram publicamente o projeto "Da Serra d'Arga à Foz do Âncora" que implicou um estudo entre o vale do Âncora e o maciço serrano, incluindo o levantamento das espécies existentes.

O estudo permitiu fazer um levantamento do património construído e a identificação de 1.124 espécies de flora, entre as quais uma raridade em Arga de Cima, no concelho de Caminha, a 'Scrophularia Bourgaeana' que se pensava estar extinta. Foram ainda identificadas 126 aves, dez anfíbios, 12 répteis, 23 mamíferos não voadores e dez voadores, e cinco espécies de peixes, além de 60 elementos geológicos.

"Tudo o que podemos alegar colocámos lá, dentro da lei. O executivo municipal vai colocar todas as dificuldades que puder porque há outros valores mais importante para a serra e para os quais estamos a trabalhar, em conjunto, com outros dois municípios do distrito", sustentou.

Denúncia à UNESCO

A associação ambientalista Quercus apresentou uma denúncia à UNESCO de “ameaça severa à integridade do sistema agro-silvo-pastoril da região do Barroso”, devido à instalação de minas de lítio a céu aberto na região. Em comunicado emitido em 14 de junho a Quercus denúncia que “sob a ameaça de exploração de lítio pelos projetos mineiros de Ampliação da Mina do Barroso e Exploração Mineira de Sepeda - Montalegre, é imperioso um esclarecimento por parte da UNESCO, relativo à manutenção da designação de Património Agrícola Mundial do Sistema Agro-Silvo-Pastoril da Região do Barroso, caso se verifique a instalação das explorações mineiras referidas” e convoca no próximo dia 22 de Junho, no Auditório da ARPAZ, Barco, Covilhã, o 1º Fórum Nacional de Ambiente e Lítio.

A Problemática do Lítio no Contexto Nacional, onde serão discutidos os impactos da mineração no meio natural e nos ecossistemas, e a desmistificação do papel do lítio na descarbonização e na mobilidade sustentável.