Reviver Bracara Augusta

Reviver Bracara Augusta
A edição do ano pasado.
A edição do ano pasado.  

Braga é das mais antigas cidades portuguesas. Fundada no tempo dos romanos como Bracara Augusta, conta com mais de 2000 anos de História como cidade. No decurso do século II a.C., a região foi tomada pelos Romanos que edificaram a cidade no ano 16 a.C., com a designação de Bracara Augusta, em homenagem ao Imperador César Augusto. Compartiu, junto com Lucus Augusti, fundada em 25 a.C., a capitalidade da Gallaecia


Dum tempo a esta parte a cidade recria a sua fundação. Este ano, o evento que recria a fundação da cidade transcorre entre os dias 22 e 26 maio, não isento de polémica por ser deslocalizado para as artérias que eram delimitadas pela muralha romana e que, agora, acolhem grande parte dos museus.

"Trouxemos a Braga Romana para espaços onde havia mais dificuldade de trazer pessoas", explica a vereadora da Cultura, Lídia Dias, convencida de que a mudança permitirá "novas interações" entre espaços museológicos, desde as termas romanas ao Museu D. Diogo de Sousa. Este último passa a acolher, por exemplo, o casamento e funeral romanos e o concílio dos deuses.

Entre as alterações estão, também, as deslocalizações do acampamento militar para o Largo Paulo Orósio, em frente aos Bombeiros Voluntários, e da área pedagógica para o Largo de Santiago.

O mercado, com 139 bancas, será distribuído pela rua Francisco Sanches, Largo de S. João do Souto, rua de S. João, Rua do Forno, Rua de Nossa Senhora do Leite, Rua Gonçalo Pereira. Já a Praça da Alimentação mantém-se nas Carvalheiras e no Largo de S. Paulo. "Há uma preocupação em mostrar o património romano e as instituições que todo o ano estão abertas", elucida Lídia Dias, adiantando que estão preparadas 11 visitas guiadas e 10 visitas encenadas durante os cinco dias do evento. Ao todo, a Braga Romana prevê 200 atuações em palco e 80 atividades pedagógicas. Pelas ruas, a qualquer hora, os visitantes podem, ainda, ser surpreendidos por figuras do imaginário romano.

A Associação Comercial de Braga desafiou, também, os empresários da restauração a participar no evento e, em resultado disso, 26 restaurantes vão disponibilizar um menu romano, que podem custar entre cinco e 30 euros por pessoa. A expectativa é que sejam vendidos 5000 menus.

fonte: jn.pt + elaboração própria