Imprimir

O PS, já muito perto da maioria absoluta

X.M. | 24 de xullo de 2019

António Costa, durante a campanha eleitoral de 2015.
António Costa, durante a campanha eleitoral de 2015.
Quem lhe pode tirar mais proveito ao governo da gerigonça é o Partido Socialista de António Costa. Assim o indicam os últimos inquéritos. A sondagem mais recente, publicada pelo Jornal das Notícias, coloca o PS à beira da maioria absoluta. As eleições legislativas terão lugar o vindouro mês de outubro.

O PS, embora não ter sido o partido mais votado em 2015, governa Portugal com o apoio parlamentar, num fenómeno inédito do Bloco de Esquerda e o Partido Comunista Português. A colaboração entre estas três forças da esquerda lusa tem sido chamada o governo da gerigonça. A direita, quando começou a andar, prognosticou que a coisa não calharia pelas inevitáveis tensões entre os parceiros. Nada disso tem acontecido e a experiência tem sido avaliada positivamente pela opinião pública portuguesa.

Coisa distinta é quem vai beneficiar mais da gerigonça do ponto de vista dos ganhos eleitorais.

E aqui as sondagens concordam em assinalar que vai ser o PS quem saia reforçado, enquanto os seus sócios registam leves descensos, mais acentuado no caso do PCP.

Com efeito, e segundo a sondagem elaborada por Pitagórica para o JN e TSF, a formação liderada por António Costa conseguiria 43,2% dos votos, o qual supõe que na prácica dobraria o principal partido da direita, um PSD que apenas alcançaria 21,6%.

O 43,2% é um grande resultado para o PS, que aumentaria 11 pontos a respeito de 2015, mas fica aquém do preciso para a maioria absoluta, lograda por José Socrates em 2005 quando chegou a 45%.

A terceira força com mais apoios segundo o inquérito é o Bloco de Esquerda, com 9,2% (10,19% em 2015), enquanto que a quarta posição seria para o PCP; com 6,8% (8,25% nas eleições anteriores).

 

Podes ver este artigo na próxima dirección /articulo/internacional/ps-ja-muito-perto-da-maioria-absoluta/20190724101317082285.html


© 2019 Sermos Galiza