jair-bolsonaro
Cinco meses de Bolsonaro
ANÁLISE

Cinco meses de Bolsonaro

Após cinco meses de presidencia de Jair Bolsonaro, as interrogantes e as contradicións do goberno brasileiro non deixan de medrar. Tampouco o fan as súas tensións internas. Paralelamente, a oposición e a esquerda teñen decidido reaccionar a través da mobilización social: avecíñanse uns meses quentes nas rúas do xigante suramericano. Eis un extracto da análise publicada no número 348 do semanario Sermos Galiza en papel.

Lula como troféu
Leonardo Boff visitou o líder do PT

Lula como troféu

O teólogo Leonardo Boff esteve em Curitiba nesta segunda-feira dia doze para visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) preso desde há 221 dias na Superintendência da Polícia Federal.

As lições para a esquerda se recuperar no Brasil após a vitória da extrema-direita
ANÁLISE

As lições para a esquerda se recuperar no Brasil após a vitória da extrema-direita

Pese às denúncias de crime eleitoral por uso de caixa B no escândalo do impulsionamento de mensagens por whatsapp, a extrema-direita elegeu um presidente da República no Brasil pela primeira vez de forma democrática. As denúncias precisam ser investigadas e, se comprovadas, deve haver punição aos responsáveis. Mas o que a centro-esquerda brasileira precisa fazer agora é refletir sobre o sucesso da extrema-direita, para compreender o que aconteceu no Brasil e se renovar na oposição visando as eleições municipais de 2020 e a nacional de 2022.

Haddad retalha em 6 pontos a distância que o separa de Bolsonaro

Haddad retalha em 6 pontos a distância que o separa de Bolsonaro

Na última semana da campanha, a votação definitiva destas presidenciais é este domingo 28-O, a tendência do candidato do PT-PCdoB é ascendente, enquanto que o ultra Jair Bolsonaro está a perder apoios. Mesmo assim a vantagem de Bolsonaro é enorme, 12 pontos. O neo-fascista vai muito por diante nos estados mais populosos. No de São Paulo, por exemplo, alcançaria até 64 por cento do voto. Analistas vêm quase impossível que o petista consiga virar os resultados no sprint final.

Lula volta a chamar a uma frente democrática para o Brasil não cair numa "aventura fascista"

Lula volta a chamar a uma frente democrática para o Brasil não cair numa "aventura fascista"

As eleições brasileiras estão praticamente decididas —o último inquérito conhecido coloca Jair Bolsonaro 14 pontos por cima de Fernando Haddad— mas o preso político Lula da Silva não deita a toalha no chão. Por meio duma carta, o ex presidente faz uma nova tentativa para reunir todos os setores democráticos do país por volta da candidatura que apresentam conjuntamente o Partido dos Trabalhadores e o Partido Comunista do Brasil.

Por que a extrema-direita está para ganhar as eleições no Brasil?
Candidato de extrema-direita é o franco favorito para a vitória no dia 28

Por que a extrema-direita está para ganhar as eleições no Brasil?

A não ser que ocorra algum fato de grande relevância que atinja a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL), o candidato da extrema-direita deve vencer as eleições presidenciais no Brasil no próximo dia 28. As sondagens apontam uma grande diferença na intenção de votos entre Bolsonaro e Fernando Haddad (PT), o candidato da centro-esquerda apoiado pelo ex-presidente Lula da Silva (PT). Enquanto a coordenação da campanha de Haddad e movimentos sociais ainda tentam reverter o desastre, parte da esquerda brasileira já começa a discutir o que aconteceu para a extrema-direita chegar ao poder.

Bolsonaro vai virar no primeiro candidato em se negar a debater no segundo turno
As pesquisas outorgam-lhe mais de 50 por cento do voto

Bolsonaro vai virar no primeiro candidato em se negar a debater no segundo turno

Seus estrategas de campanha aconselham-lhe que não conceda a Fernando Haddad a opção de debater com ele. Bolsonaro até nem iria debater na Rede Globo, o meio hegemónico no Brasil. A razão? Não põr em risco a vantagem que lhe outorgam os inquéritos. Segundo a última pesquisa, o candidato do Partido Social Liberal ultrapassaria já a barreira de 50 por cento dos votos.

OPINIÓN

Brasil elixirá o día 28 entre democracia e barbarie

As eleccións presidenciais de onte no Brasil non depararon sorpresas que desmentiran o que viñan indicando desde hai semanas os distintos inquéritos de intención de voto.

 

Co 97% dos votos escrutados o candidato de extrema dereita Jair...

Brasil: o ultradereitista Bolsonaro golpea primeiro, 46% dos votos
Haddad, obrigado a seducir o voto centrista para gañar o 28-0

Brasil: o ultradereitista Bolsonaro golpea primeiro, 46% dos votos

A segunda volta terá lugar o 28 de outubro. O candidato do PT Fernando Haddad conseguiu 29,28 por cento dos sufraxios e no segundo turno das presidencias terá de reunir todo o voto progresista e democrático para derrotar o candidato saudoso da ditadura militar. 

Mulheres brasileiras saem a rua contra o ultra-conservador Bolsonaro
Com o lema #EleNão

Mulheres brasileiras saem a rua contra o ultra-conservador Bolsonaro

As mulheres do Brasil irão protagonizar neste sábado (29), uma grande manifestação contra a candidatura de extrema-direita de Jair Bolsonaro nas eleições do Brasil. Com o nome de “Mulheres contra Bolsonaro”, as manifestações ocorrerão em mais de 50 cidades brasileiras e também em outros 10 países. Cidades como Barcelona, Lisboa e Porto têm eventos confirmados. A campanha utiliza a hashtag #EleNão, difundido em todas as redes sociais. 

O petista Haddad já lidera os inquéritos do segundo turno face ao ultra-conservador Bolsonaro
A carreira eleitoral no Brasil

O petista Haddad já lidera os inquéritos do segundo turno face ao ultra-conservador Bolsonaro

As sondagens começam a prefigurar a vitória do candidato do PT, Fernando Haddad, no segundo e definitivo turno das eleições presidenciais no Brasil, a se realizarem o domingo 28 de outubro. Com toda segurança o rival do petista seria o ultra-conservador Jair Bolsonaro. Nem Haddad nem Bolsonaro têm opções reais de vencerem as eleições no primeiro turno, a 7 de Outubro, porque para isso precisariam arrecadar no mínimo a metade mais um dos votos emitidos. Começamos esta quarta feira a publicarmos crónicas e análises do nosso colaborador Giovanni Ramos sobre o proceso eleitoral no Brasil.

OPINIÓN

Brasil, a opción menos mala

Se cadra o máis preocupante da situación electoral de moitos países sexa que a única opción posíbel para frear o avance da dereita ou da extrema dereita, é o triunfo do reformismo, incapaz de ofrecer un proxecto de distribución do traballo e da riqueza xusto, e que garanta...